As palavras sabem muito mais longe

As palavras sabem muito mais longe

Nesse momento tão significativo, gostaria de saudar os nossos queridos pais, extensivo a todas as autoridades presentes nessa confraternização dos nossos concluintes do 3º ano do ensino médio dessa honrosa instituição de ensino.

Para iniciarmos essa nossa reflexão trago como fonte de fundamentação a epígrafe do livro Correspondência, de Bartolomeu, do qual estou falando e no qual se lê: “as palavras sabem muito mais longe.”

Alunos, pais , professores e comunidade de um modo geral estão atentos .
Alunos, pais , professores e comunidade de um modo geral estão atentos .
“Gostaria ao dirigir estas palavras que vocês me ajudassem, pois há palavras que precisamos fazer dormir em nossos dicionários, pois nos machucam muito.

Gostaria ao dirigir estas palavras que vocês me ajudassem, pois há palavras que precisamos fazer dormir em nossos dicionários, pois nos machucam muito. E trago, também, palavras para acordar. A escola inteira vai gostar de ouvi-las, certamente. São palavras que amamos, em que nesse exato momento gostaria de dar de presente.

Quais seriam umas e outras? Começando por aquelas para fazer dormir em dicionários, sem que jamais se levantem, entrego a vocês estas: INDIVIDUALISMO/DESESPERANÇA/DESCONFIANÇA/DESCRÉDITO/DESÂNIMO. Vocês podem como sempre fizeram ao longo desses 7 anos que estão por aqui . O que vocês acham delas?
Essas palavras não podem estar dentro da nossa escola, não é mesmo? Como trabalhar solitariamente ao invés de solidariamente com nossos colegas de escola se sabemos que, juntos, a gente pode muito mais, mais que todas as palavras? Se juntos, não temos nada a temer! Como não acreditar em vocês meus queridos alunos, se somos nós o seu apoio, seu porto e acolhida no mundo, se eles estão ainda estão chegando e precisam de hospitalidade, cuidado e afago? Como não confiar em vocês depois desses longos anos de convivência, se eles nem mesmo estão completos, acabados, são apenas princípio, devires, horizontes de possíveis? Como não toma-los pela mão, se em vocês a vida apenas está começando, por vezes já dura e amarga? Como não ter esperança nesse novo começo que temos diante de nós e que, dependendo de como forem nossas experiências conjuntas, pode se abrir em belas florações? Nossos jovens são, na verdade, vida e, ao mesmo tempo, promessas da vida e precisam muito de seus mediadores. Como não nos animarmos se podemos contribuir com esse florescimento, numa primavera juvenil? Mesmo até que eles cos digam não, mesmo até que tenham outas companhias, o bom professor nunca foi tão necessário em tempos em que milhares deles estão muito abandonados.

Sem afetos, sem projetos, sem um porto feliz para uma ancoragem segura.

E, na verdade, essas palavras não são apenas para fazer dormir em dicionários, mas para apagar e para que elas nunca mais apareçam, sejam nos dicionários da escola ou em qualquer outro lugar!

E agora, quais palavras escolher para acordar, aquelas palavras que toda escola, todo o mundo irá gostar de ouvir? Seriam muitas e belas, pois são palavras que amamos, porque são meigas e doces. Elas são formosas. Elas nos fazem bem! Sobre elas nada vou dizer, pois não é preciso. Elas falam por si mesmas e todas as entendemos. E também não se trata de explica-las, porque elas fogem de explicação ou de completo entendimento. Elas falam ao pensamento, mas também aos sentimentos e muito mais. E também, se quiserem, vocês mesmos as explicam, como também espero que tragam outras belas palavras formosas para essa reflexão. Sim, imaginei ao terminar esse discurso, com as palavras que vocês querem acordar. Aí , sim, ficará mais belo e completo. Vamos as palavras: REINVENÇÃO E CRIATIVIDADE, pois bem continuem criando e reinventando por onde vocês passarem.

Deixe uma resposta