Equipe Pedagógica do Mandinho de Souza Almeida Projeto Politico Pedagógico.

Equipe Pedagógica do Mandinho de Souza Almeida Projeto Politico Pedagógico.

3.1 ÓRGÃOS COLEGIADOS: PARCEIROS DA GESTÃO

Feira do Conhecimento 2016 a festa da uva
Feira do Conhecimento 2016 a festa da uva

COLEGIADO ESCOLAR

O Conselho Escolar é um órgão colegiado de natureza consultiva, deliberativa, avaliativa e fiscalizadora sobre a organização e a realização do trabalho pedagógico e admnistrativo da instituição escolar em conformidade com as políticas e as diretrizes educacionais da Secretaria de Estado de Educação, a Constituição Federal, a Constituição Estadual, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, o Estatuto da Criança e do Adolescente, o Projeto Político-Pedagógico e o Regimento Escolar.

Quem faz parte?

O Colegiado Escolar é composto por representantes da comunidade escolar e de representantes de movimentos sociais organizados e comprometidos com a educação pública, presentes na comunidade, sendo presidido por seu membro nato, o(a) diretor(a) da escola. O Conselho Escolar, de acordo com o princípio da representatividade e proporcionalidade, é constuído pelos seguintes conselheiros.

MEMBROS DO COLEGIADO ESCOLAR

Diretor Presidente
MARILSON CARVALHO SANTOS
Representante do Corpo Docente
RAFAEL COSTA ALMEIDA
MARIA DA GRAÇA DUARTE CARDOSO
Representante dos Pais
SIMONE MARCIA FERREIRA PIMENTEL BORGES
CAARLOS DIAS DA SILVA
Representante do Corpo Discente
ERIMIRES MOREIRA DA HORA
Representante do Grêmio Estudantil
VINICIUS SANTOS FERNANDES

GRÊMIO ESTUDANTIL

O que é?
O grêmio é uma organização sem fins lucrativos que representa o interesse dos estudantes e que tem fins cívicos, culturais, educacionais, desportivos e sociais.
O grêmio é o órgão máximo de representação dos estudantes da escola. Atuando nele, o estudante defende seus direitos e interesses e aprende ética e cidadania na prática.

Objetivos:
Integrar e representar os estudantes do colégio;
Defender seus direitos e interesse;
Cooperar para melhorar a escola e a qualidade do ensino;
Incentivar e promover atividades educacionais, culturais, cívicas, desportivas e sociais.
Realizar intercâmbio e colaboração de caráter cultural e educacional com outras instituições de caráter educacional .

Atividades
Dentre as muitas atividades que o grêmio pode realizar, destaca-se:
Integrar os alunos e a comunidade, promovendo eventos culturais como projeção de filmes, peças teatrais, gincanas, concursos de poesia, coral, festival de dança, de música, etc;
Cursos e oficinas;
Campeonatos esportivos nas diversas modalidades;
Palestras de diferentes temas;
Campanhas para coleta de recursos para as populações carentes;
Jornal da escola ;
Premiação dos alunos destaques nas diversas modalidades.

CONSELHO DE CLASSE

O Conselho de Classe, como órgão colegiado, deve ser de natureza consultiva e deliberativa em assuntos didático-pedagógicos, com atuação restrita a cada turma do CEMA, tendo por objetivo avaliar o processo ensino e aprendizagem.

COMISSÃO DISCIPLINAR
È um órgão colegiado constituído de todos os segmentos da comunidade escolar com o objetivo de avaliar os casos graves de descumprimento de normas dos alunos para aplicação de penalidades ou encaminhamento às autoridades de direito. No entanto, nenhum tipo de penalidade ou sanção poderá transgredir as diretrizes, direitos e deveres estabelecidos no Estatuto da Criança e do Adolescente e/ou outra legislação especifica vigente.

EQUIPE PEDAGÓGICA
4.1 SERVIÇO PEDAGÓGICO/PROFESSOR-FORMADOR/ARTICULADORES DE ÁREA

É o setor responsável diretamente sobre os determinantes e estruturantes do processo de ensino e aprendizagem, sintetizados no PPP. Este por sua vez é um meio relevante para a consolidação da função social e política da escola e um instrumento que reflete o sentido mantenedor-transmissor da ação pedagógica. Neste processo, a atuação destes profissionais tem como objeto a Proposta Pedagógica, e como ação fundamental a articulação, a socialização e a construção dos diferentes saberes docentes, a rearticulação teórica e prática e, por conseguinte, dos estruturantes e determinantes do currículo da escola e da consecução do PPP.

ÓRGÃOS COLEGIADOS – DOS: PARCEIROS DA GESTÃO

Projetos-pedagogicos-que-terão-destaque-no-ano-de-2017-CEMA-Mandinho

ÓRGÃOS COLEGIADOS

3.1 DOS: PARCEIROS DA GESTÃO

COLEGIADO ESCOLAR

O Conselho Escolar é um órgão colegiado de natureza consultiva, deliberativa, avaliativa e fiscalizadora sobre a organização e a realização do trabalho pedagógico e administrativo da instituição escolar em conformidade com as políticas e as diretrizes educacionais da Secretaria de Estado de Educação, a Constituição Federal, a Constituição Estadual, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, o Estatuto da Criança e do Adolescente, o Projeto Político-Pedagógico e o Regimento Escolar.

Quem faz parte?

O Colegiado Escolar é composto por representantes da comunidade escolar e de representantes de movimentos sociais organizados e comprometidos com a educação pública, presentes na comunidade, sendo presidido por seu membro nato, o(a) diretor(a) da escola. O Conselho Escolar, de acordo com o princípio da representatividade e proporcionalidade, é construído pelos seguintes conselheiros.

MEMBROS DO COLEGIADO ESCOLAR

Diretor Presidente
MARILSON CARVALHO SANTOS
Representante do Corpo Docente
RAFAEL COSTA ALMEIDA
MARIA DA GRAÇA DUARTE CARDOSO
Representante dos Pais
SIMONE MARCIA FERREIRA PIMENTEL BORGES
CAARLOS DIAS DA SILVA
Representante do Corpo Discente
ERIMIRES MOREIRA DA HORA
Representante do Grêmio Estudantil
VINICIUS SANTOS FERNANDES

GRÊMIO ESTUDANTIL
O que é?
O grêmio é uma organização sem fins lucrativos que representa o interesse dos estudantes e que tem fins cívicos, culturais, educacionais, desportivos e sociais.
O grêmio é o órgão máximo de representação dos estudantes da escola. Atuando nele, o estudante defende seus direitos e interesses e aprende ética e cidadania na prática.

Objetivos:
Integrar e representar os estudantes do colégio;
Defender seus direitos e interesse;
Cooperar para melhorar a escola e a qualidade do ensino;
Incentivar e promover atividades educacionais, culturais, cívicas, desportivas e sociais.
Realizar intercâmbio e colaboração de caráter cultural e educacional com outras instituições de caráter educacional .

Atividades
Dentre as muitas atividades que o grêmio pode realizar, destaca-se:
Integrar os alunos e a comunidade, promovendo eventos culturais como projeção de filmes, peças teatrais, gincanas, concursos de poesia, coral, festival de dança, de música, etc;
Cursos e oficinas;
Campeonatos esportivos nas diversas modalidades;
Palestras de diferentes temas;
Campanhas para coleta de recursos para as populações carentes;
Jornal da escola ;
Premiação dos alunos destaques nas diversas modalidades.

CONSELHO DE CLASSE

O Conselho de Classe, como órgão colegiado, deve ser de natureza consultiva e deliberativa em assuntos didático-pedagógicos, com atuação restrita a cada turma do CEMA, tendo por objetivo avaliar o processo ensino e aprendizagem.

COMISSÃO DISCIPLINAR
È um órgão colegiado constituído de todos os segmentos da comunidade escolar com o objetivo de avaliar os casos graves de descumprimento de normas dos alunos para aplicação de penalidades ou encaminhamento às autoridades de direito. No entanto, nenhum tipo de penalidade ou sanção poderá transgredir as diretrizes, direitos e deveres estabelecidos no Estatuto da Criança e do Adolescente e/ou outra legislação especifica vigente.

AÇÃO GESTORA – Gestão democrática e as instâncias colegiadas

Projetos pedagogicos que terão destaque no ano de 2017

AÇÃO GESTORA

3.8.1 Gestão democrática e as instâncias colegiadas

O PLANO DE AÇÃO de Gestão está embasado nos princípios e fins e da organização da Educação Nacional – Lei de Diretrizes e Base nº 9394/96, traduzidos a partir da Constituição Federal de 1988 que menciona:

Art. 2º. A educação, dever da família e do Estado, inspirada nos princípios de liberdade e nos ideais de solidariedade humana, tem por finalidade o pleno desenvolvimento do educando, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.

Art. 3º. O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios:
I – igualdade de condições para o acesso e permanência na escola;
II – liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar a cultura, o pensamento, a arte e o saber;
III – pluralismo de idéias e de concepções pedagógicas;
IV – respeito à liberdade e apreço à tolerância;
V – coexistência de instituições públicas e privadas de ensino;
VI – gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais;
VII – valorização do profissional da educação escolar;
VIII – gestão democrática do ensino público, na forma desta Lei e da legislação dos sistemas de ensino;
IX – garantia de padrão de qualidade;
X – valorização da experiência extra-escolar;
XI – vinculação entre a educação escolar, o trabalho e as práticas sociais.

Art. 12º. Os estabelecimentos de ensino, respeitadas as normas comuns e as do seu sistema de ensino, terão a incumbência de:
I – elaborar e executar sua proposta pedagógica;
II – administrar seu pessoal e seus recursos materiais e financeiros;
III – assegurar o cumprimento dos dias letivos e horas-aula estabelecidas;
IV – velar pelo cumprimento do plano de trabalho de cada docente;
V – prover meios para a recuperação dos alunos de menor rendimento;
VI – articular-se com as famílias e a comunidade, criando processos de integração da sociedade com a escola;
VII – informar os pais e responsáveis sobre a freqüência e o rendimento dos alunos, bem como sobre a execução de sua proposta pedagógica.

Art. 13º. Os docentes incumbir-se-ão de:
I – participar da elaboração da proposta pedagógica do estabelecimento de ensino;
II – elaborar e cumprir plano de trabalho, segundo a proposta pedagógica do estabelecimento de ensino;
III – zelar pela aprendizagem dos alunos;
IV – estabelecer estratégias de recuperação para os alunos de menor rendimento;
V – ministrar os dias letivos e horas-aula estabelecidos, além de participar integralmente dos períodos dedicados ao planejamento, à avaliação e ao desenvolvimento profissional;
VI – colaborar com as atividades de articulação da escola com as famílias e a comunidade.

Diante da legislação a gestão do CEMA busca formas e meios de fazer cumprir estes princípios, entendendo que uma gestão democrática é a expressão mais eficaz por se constituir de um colegiado escolar para todas as demandas educacionais. O processo de gestão colegiada tem se constituído em um caminho possível na construção de uma escola democrática. A ação colegiada apresenta duas dimensões, ou seja, a dimensão pedagógica e a dimensão política.
Na dimensão pedagógica, a administração colegiada reside na possibilidade da efetivação da função essencial da escola pública, entendida como um fenômeno educativo, na medida em que se firma como exercício participativo do processo decisório escolar, efetivando uma prática de democratização institucional.
O colegiado escolar se constitui em um processo contínuo de reflexão e discussão dos problemas/desafios da escola, na efetivação de estratégias viáveis à concretização dos objetivos da comunidade escolar passando um efeito natural pedagógico sobre cada um dos parceiros da comunidade escolar.
Como prática democrática de decisões, deve ser capaz de garantir a participação de todos os membros de comunidade escolar, um projeto solidário possibilitando a todos a co-responsabilidade do projeto pedagógico da escola e da sociedade. Assim, essa prática produz resultados imediatos e concretos, pois que a comunidade escolar vivencia situações de cidadania próprias da dinâmica social e do seu papel do cidadão.
Na dimensão política da administração colegiada se insere no contexto de uma concepção democrática de administração. Tem como pressuposto fundamental a estratégia para a promoção de uma forma qualitativa de decisões na escola e na sociedade, a partir de uma participação co-responsável. Pela participação coletiva, efetiva-se a socialização das decisões e a divisão de responsabilidades. Neste ponto a participação constitui-se em eemento básico de integração social democrática. Neste tipo de gestão a preocupação está na instituição de uma forma de organizar a escola para a superação dos conflitos através da síntese superadora resultante das convergências e sintonias dos diversos e diferentes grupos que integram esta instituição educacional, através da participação coletiva.

DADOS DA ESCOLA EM 2008/2009

2.2 DADOS DA ESCOLA EM 2008/2009

Aproveitamento dos alunos da 5ª – 8ª série/ 6º – 9º ano do Ensino Fundamental

Aproveitamento dos alunos do !º ao 3º ano do ensino médio
Aproveitamento dos alunos do !º ao 3º ano do ensino médio

Ano de Referencia: 2008

aproveitamento em relação aos resultados obtidos em 2008/2009
aproveitamento em relação aos resultados obtidos em 2008/2009

SÉRIE
Matrícula Inicial
Admitidos após mês de março
Afastados por Abandono
Afastados por Transferências
Matrícula Final
Aprovados
Reprovados
Taxa de Aprovação
Taxa de Reprovação
Taxa de Abandono
5ª/6º

71%
23%
4%
6ª/7º

73%
24%
2%
7ª/8º

76%
19%
4%
8ª/9º

80%
18%
0%
TOTAL
685
14
17
171
511
395
116
75%
22%
3%

Aproveitamento dos alunos do !º ao 3º ano do ensino médio
Ano de Refer~encia: 2008

SÉRIE

Matrícula Inicial

Admitidos após mês de março

Afastados por Abandono

Afastados por Transferências

Matrícula Final

Aprovados

Reprovados
Taxa de Aprovação
Taxa de Reprovação
Taxa de Abandono

52.1%
15.8%
32.2%

69.0%
10.3%
20.7%

88.2%
4.9%
6.9%
TOTAL
418
3
84
28
309
266
43
68%
11%
21%

MARCO SITUACIONAL – Contexto da Escola

Preparem-se voltas as aulas dia 06 de fevereiro de 2017

 

MARCO SITUACIONAL
2.1 Contexto da Escola

 

O Colégio Estadual Sérgio Carneiro, fundado em 27 de Setembro de 1984, situado à rua Dr. Ulisses Caldas Pinto, nº 41/43 – Centro, em Conceição do Almeida – Bahia, nasceu da luta de um grupo da comunidade liderado pelo Exmº Sr. Hermando Mandinho de Souza Almeida. Inicialmente funcionava o 1º grau do Ensino Fundamental de 1ª a 8ª série na casa de um dos fundadores, o Sr. Hermando de Souza Almeida, “Mandinho”, em seguida veio instalar-se em um prédio que funcionava como Armazém de beneficiar tabaco, sem nenhuma condição em sua estrutura física.

Em 1989, o Governador da época o Ilmº Sr. João Durval Carneiro autorizou a construção do Prédio para funcionar o Colégio Estadual Sérgio Carneiro, nome que homenageia o filho do governador. No prédio de construção da U.E.E, as aulas foram ministradas em um salão Paroquial, pertencente à Igreja matriz da cidade. Nos meados dos anos 90, foi inaugurado o novo Colégio, sob a direção da Professora Altamira Muniz da Silva e Dilma Caldas como Coordenadora de ensino.

Durante o primeiro ano de funcionamento todos os funcionários, inclusive professores não foram remunerados. Em seguida foi Diretor o Professor Paulo Moraes que depois passou a Direção para a Professora Maria das Graças Duarte Cardoso. Em 1990, assumiu a direção a professora Nadir da Silva Santos, que permaneceu até março de 2007. A primeira medida tomada ao assumir, foi a oficialização e o reconhecimento da SEC dos Cursos de 2º Grau de Técnico em Administração e Formação de Professores – antigo magistério – vindo a acontecer em 1996.

No final de 1993 foram certificados os primeiros Técnicos em Administração os primeiros Professores formados no Colégio Estadual Sérgio Carneiro. Em 2000 o governo estadual liderado pelo Ilmº Sr. Paulo Souto e o Secretário de Educação Eraldo Tinoco, autorizou a reforma e ampliação do colégio. Hoje, contamos com um prédio de dois pavilhões, com 16 salas de aula, um laboratório de Informática, uma biblioteca, uma sala de direção, sanitários, sala de professores e outras dependências. Ministrando o Ensino Fundamental de 5ª a 8ª série e o Ensino Médio. Em 2009, através do Decreto nº. , o Colégio Estadual Sergio Carneiro passou a ser denominado Colégio Estadual Mandinho de Souza Almeida (CEMA), dando início então a um período de grandes realizações pedagógicas e intensas mudanças.

No CEMA não há alunos ideais, mas sim reais, com problemas e dificuldades inerentes a qualquer ser humano. A maior parte dos alunos são oriundos de famílias de baixo poder socioeconômico, recebendo em sua maioria apenas um salário mínimo mensal. Cerca de 80% desses alunos são oriundos da zona rural, cujos pais possuem baixo nível de escolaridade, o que prejudica no acompanhamento dos mesmos devido à sua jornada de trabalho.
Este Estabelecimento de Ensino, hoje denominado COLÉGIO ESTADUAL MANDINHO DE SOUZA ALMEIDA, possui uma área aproximada de m². As atuais dependências físicas foram construídas na década de oitenta e inaugurada em 27 de setembro de 19, pelo então Governador do Estado, Excelentíssimo João Durval Carneiro.

Dispõe de 15 salas de aula, 01 laboratório de informática, 01 laboratório de ciências, 01 sala dos professores, 01 sala de diretoria, 01 secretaria, 01 almoxarifado, 01 biblioteca com acervo de 3.000 exemplares, 01 salão, o1 sala de coordenação, 01 cantina. O fato de ser o prédio construído há 25 anos necessita de algumas reformas e adequações:

· Necessita de melhoria para o acesso a portadores de necessidades especiais com deficiência física, ou seja, o cadeirante.

· Condições de uso como iluminação, acústica, ventilação, limpeza, instalações sanitárias e segurança, necessitam de constantes cuidados e atenção, em todas as salas e espaços de circulação.

· As instalações administrativas são adequadas ao trabalho.

· As salas de aula necessitam de reformas estruturais como refrigeração.
· Acesso a locais de alimentação estão estrategicamente localizadas e atendem o que determina a legislação pertinente.

· Os espaço para reuniões, apresentações de atividades pedagógicas necessitam de uma estrutura melhor, pois que é na entrada da instituição.

. A quadra de esportes também precisa ser coberta.

OBJETIVOS – Objetivos Gerais e Específicos

OBJETIVOS – Objetivos Gerais e Específicos

Garantir a universalização de igualdade de acesso, permanência e sucesso dos alunos nesta Unidade escolar;
Promover o exercício da cidadania a partir da compreensão da realidade para que possa contribuir na transformação do aluno-cidadão.

Objetivos Específicos

Elevar o desempenho acadêmico dos alunos.
Modernizar a gestão de processos da U.E.

II. INTRODUÇÃO – A sociedade contemporânea espera de todas as instituições

II. INTRODUÇÃO

A sociedade contemporânea espera de todas as instituições que a compõe, ação, criatividade, parcerias, produção, empreendedorismo, competências e qualidade, com vistas às necessidades sociais vigentes. Neste sentido, o Colégio Estadual Mandinho de Souza Almeida tem como objetivo promover uma Educação de qualidade para os seus educandos. Essa educação perpassa pela produção de conhecimentos e profissionais competentes, ativos, críticos, participativos, comprometidos e, além de tudo, humanos. Nessa perspectiva, adotaremos práticas pedagógicas contextualizadas e críticas, estimuladoras e promotoras da cidadania, que considerem o ser humano um ser global, social e histórico.

A sociedade contemporânea espera de todas as instituições
A sociedade contemporânea espera de todas as instituições

Todas as questões que envolvem o fazer pedagógico e as suas relações com o currículo, conhecimento e com a função social da escola, favorece a um pensar e uma reflexão contínua de todos os envolvidos neste processo. Que Escola queremos construir? Que conhecimentos nossos alunos/as precisarão ter para de fato, exercer a sua cidadania, nesta sociedade tão cheia de conflitos? Conflitos estes que estão presentes no espaço escolar, nas relações pessoais, no confronto das idéias, e também no surgimento de novas concepções, das dúvidas e da necessidade do diálogo entre os sujeitos aprendentes (comunidade escolar).

Este Projeto Político Pedagógico se caracteriza por uma necessidade de renovação, exigindo mudança de mentalidade em direção à autonomia e participação de todos os segmentos, voltados para uma gestão democrática. O Colégio Estadual Sérgio Carneiro se apresenta e atua como centro de estudo e formação, inserido num cenário marcado pela diversidade de suas próprias contradições. A natureza processual da educação faz deste projeto pedagógico um instrumento de trabalho, ainda que provisório, para a realização da missão e dos ideais dessa instituição. Por isso, o presente Projeto tem função articuladora, identificadora, retroalimentadora e ética.
Finalmente, não se pode esquecer sua função política, enquanto coloca o exercício da educação comprometido com a qualidade e o exercício da cidadania. Isso enriquece a práxis pedagógica na medida em que a humaniza por ser compreendida como uma atividade humana, construída e articulada, considerando a socialização do aprender a aprender, do aprender a fazer, do aprender a ser e do aprender a conviver.

Todo projeto supõe rupturas com o presente e promessas para o futuro. Projetar significa tentar quebrar um estado confortável para arriscar-se, atravessar um período de instabilidade e buscar uma nova estabilidade em função da promessa que cada projeto contém de estado melhor que o presente. Um projeto educativo pode ser tomado como promessa frente a determinadas rupturas. As promessas tornam visíveis os campos de ação possível, comprometendo seus atores e autores. GADOTTI (cit por Veiga, 2001, p. 18),

Isto posto, o Colégio Estadual Mandinho de Souza Almeida pretende:

1. promover o aprofundamento das ciências e da tecnologia no contexto histórico das áreas de códigos e linguagens, sociedade e cultura, ciências da natureza e matemáticas, buscando a construção do conhecimento por intermédio da livre discussão do ensino e da pesquisa;

2. privilegiar a produção e a construção do conhecimento de forma sistematizada e sistêmica, partindo da reflexão, do debate e da crítica numa perspectiva criativa e interdisciplinar e

3. recuperar o conhecimento como prática, reflexão, dúvida, compreensão e crítica do que nos é oferecido pela observação e pela experiência do mundo físico e social, bem como pelas mídias tecnológicas disponíveis.

I – APRESENTAÇÃO-PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO

I – APRESENTAÇÃO

O Projeto Político Pedagógico constitui-se na construção coletiva da identidade da escola pública de qualidade que pressupõe um projeto de sociedade, de educação, de cultura e de cidadania, fundamentado na democracia e na justiça social. É a própria organização do trabalho pedagógico escolar como um todo, em suas especificidades, níveis e modalidades, no nosso caso o ensino fundamental e médio e a perspectiva de implantação e implementação de cursos técnicos, propondo a reflexão e discussão crítica sobre os problemas da sociedade e da educação, para encontrar as possibilidades de intervenção na realidade.

Projetos pedagogicos que terão destaque no ano de 2017
Projetos pedagogicos que terão destaque no ano de 2017

Neste sentido, articula a participação de todos os sujeitos do processo educativo: professores, funcionários, pais, alunos e outros parceiros da comunidade, para construir-se uma visão global da realidade e dos compromissos coletivos; alicerça o trabalho pedagógico escolar enquanto processo de construção contínua; fundamenta as transformações internas da organização escolar e explicita suas relações com as transformações mais amplas (econômica, social, política, educacional e cultural).

O Colégio Estadual Mandinho de Souza Almeida possui um perfil diante da comunidade, que é de manter um ambiente muito saudável de companheirismo, respeito, transparência, participação e democracia. A gestão norteia as ações de forma integradora, com divisão de funções e atribuições claras, por meio de reuniões onde são debatidos assuntos de ordem pedagógica, física, humana e financeira. Numa gestão participativa, o Colégio conta com o apoio de seus órgãos internos: Grêmio Estudantil, Colegiado Escolar (instância maior da Instituição) que, além da participação de pais, professores, funcionários e alunos, conta com a participação de segmentos da comunidade externa e uma comissão disciplinar (composto por todos os segmentos do colégio) para apoio na ordem e regras da escola.

Dessa forma, este documento articula todo o processo de funcionamento do Colégio Estadual Mandinho de Souza Almeida.

I – APRESENTAÇÃO-PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO

SUMÁRIO – COLÉGIO ESTADUAL MANDINHO DE SOUZA ALMEIDA

SUMÁRIO

I – APRESENTAÇÃO
04
II – INTRODUÇÃO
05
1 – OBJETIVOS
07
2 – MARCO SITUACIONAL
08
2.1. CONTEXTO DO CEMA
09
2.2 DADOS DA ESCOLA
10
3 – AÇÃO GESTORA
12
3.1. ÓRGÃOS COLEGIADOS
14
4. EQUIPE PEDAGÓGICA
16
4.2 ORGANOGRAMA FUNCIONAL
18
5 – MARCO CONCEITUAL
20
5.1 VALORES – MISSÃO – VISÃO
20
5.2 CONCEPÇÃO DE ESCOLA CIDADÃ
21
5.3 FUNDAMENTOS LEGAIS
26
5.4 METODOLOGIA DO PROCESSO ENS. E APRENDIZAGEM
27
6 – AVALIAÇÃO GLOBAL E INCLUSIVA
29
7 – MARCO OPERATIVO
41
7.1 NÍVEIS DE ENSINO
47
8- AVALIAÇÃO DO PPP
56
REFERÊNCIAS
58
APENDICES

SUMÁRIO – COLÉGIO ESTADUAL MANDINHO DE SOUZA ALMEIDA

62

ATUALIZAÇÃO- Projeto Político Pedagógico

Escola é…

o lugar onde se faz amigos

não se trata só de prédios, salas, quadros,

programas, horários, conceitos…

Escola é, sobretudo, gente,

gente que trabalha, que estuda,

que se alegra, se conhece, se estima.

O diretor é gente, o coordenador é gente, o professor é

gente, o aluno é gente, cada funcionário é gente.

E a escola será cada vez melhor

na medida em que cada um

se comporte como colega, amigo, irmão.

Nada de ‘ilha cercada de gente por todos os lados’.

Nada de conviver com as pessoas e depois descobrir

que não tem amizade a ninguém

nada de ser como o tijolo que forma a parede,

indiferente, frio, só.

Importante na escola não é só estudar, não é só trabalhar,

é também criar laços de amizade, é criar ambiente de camaradagem,

é conviver, é se ‘amarrar nela’!

Ora, é lógico… numa escola assim vai ser fácil

estudar, trabalhar, crescer,

fazer amigos, educar-se, ser feliz.

(FREIRE)